edifício


O Convento de S. Domingos, peça central do património edificado da cidade de Abrantes, procurava uma vocação e um destino. A colecção de arqueologia e arte Fundação Ernesto Lourenço Estrada, Filhos (a que se juntaram as colecções da pintora Maria Lucília Moita e do escultor Charters de Almeida, entretanto doadas ao Município) bem como a colecção da Câmara Municipal, procuravam um local para serem oferecidas à cidade, às pessoas, à comunidade.Ler mais.


colecções



O acervo do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes é constituído por colecções de Arqueologia e Arte que vão desde os tempos pré-históricos até à época contemporânea, de proveniência local, nacional e internacional. Ler mais.

exposições

A história do Museu D. Lopo de Almeida
O Museu D. Lopo de Almeida, fundado em 1921, o sexto mais antigo museu de arqueologia e arte em Portugal. Começou por seguir a velha linha dos gabinetes de curiosidades, acumulando diversas peças relacionadas com a história de Abrantes, como se pode ver na fotografia. Nas últimas décadas, tem seguido uma linha mais educativa, com temáticas bem definidas. Nesta exposição, pretende-se dar a conhecer um pouco das suas principais coleções e história. Ler mais.


VI Jornadas Internacionais do MIAA – Homenagem a Diogo Oleiro
28 de Outubro de 2016

Comunicações em eventos científicos internacionais

Colóquio Iberoamericano "Arqueologia e Património face Às mudanças globais"
Museu de Mação, 8 de Março 2016: Davide Delfino / Importância e limites das coleções privadas.

Congresso da Comissão Científica da U.I.S.P.P."Ages des Metaux en Europe" "MeTools"-The Metalworker and his tools : symbolism, function and technology in the Bronze and Iron Ages
Belfast, Queen's University, 23-26 de Junho 2016: Davide Delfino / Sacred or profane? some reflections on the closets in the Atlantic façade of the Iberian Peninsula